BELAY LOOP – Use o anel de sua cadeirinha da forma correta!

Qual é a forma correta de utilizar sua cadeirinha na hora de fazer o  rapel e a segurança de seu parceiro, você sabe?

Você deve clipar seu mosquetão no anel frontal da cadeirinha (Belay Loop), ou deve clipar seu mosquetão por ambas as fitas das pernas e cintura?

 Montanhista há 20 anos, confesso que aprendi e utilizei a técnica de passar meu mosquetão de trava, tanto pela alça das pernas como da cintura por mais de 10 anos.

Depois de muito pesquisar na internet, sites de fabricantes e fóruns de discussão, aprendi que essa técnica ou hábito vem das primeiras cadeirinhas, que antigamente, não possuíam o tal BELAY LOOP. Desta forma o mosquetão era sempre clipado tanto na fita das pernas como na fita da cintura.

Anos se passaram e hoje quase a totalidade das cadeirinhas no mercado possuem um anel de fita frontal, e apesar das recomendações dos fabricantes, boa parte dos montanhistas ainda utiliza o método antigo.

Bom, respondendo a pergunta da primeira frase: A técnica “moderna” e absolutamente CORRETA de clipar seu mosquetão à cadeirinha é através do Belay Loop.

Portanto, clipar seu mosquetão nas fitas da cintura e pernas É PERIGOSO e ESTÁ ERRADO!

ERRADO – Dependendo do ângulo de trabalho do mosquetão, podem ocorrer cargas totalmente transversais ao seu eixo ideal ou sobre o gatilho.

 Vamos aos fatos…

 A grande parte dos montanhista que defendem e usam o método antigo, fundamentam-se em duas premissas principais:

–       A primeira é a de que ao clipar seu mosquetão nas fitas das pernas e cintura, você estará clipado em 2 pontos ao invés de um, o que seria em tese, mais seguro.

–       O segundo ponto é que ao utilizar o Belay Loop você está adicionando mais um elemento à cadeia de segurança, e fundamentalmente no montanhismo, quanto menos elementos nesta cadeia, melhor.

Dito isso, vamos ver porquê você DEVE UTILIZAR o Belay Loop:

–       O primeiro ponto é de extrema relevância. Todos os fabricantes recomendam o rapel e segurança através do Belay Loop. Pra mim só isso já basta, afinal muito tempo e dinheiro são gastos pelos fabricantes no desenvolvimento e teste desses equipamentos, e eles não recomendariam essa prática se não fosse absolutamente segura. Isso sem contar que ao adicionar um Belay Loop, adiciona-se custo à cadeirinha, e você pode ter certeza que se não fosse extremamente relevante, ele não estaria lá!

–       O Belay Loop é feito de uma fita tubular enrolada sobre ela mesma por duas, as vezes até três camadas, e depois costurado. Este anel é sem dúvida o ponto mais forte de sua cadeirinha. Não há porquê duvidar da segurança desta peça da cadeirinha.

–       Ao contrário do que muitos dizem sobre adicionar um elemento na “cadeia de segurança”, ao utilizar o Belay Loop, você simplifica o “clipar-se” à cadeirinha. O procedimento torna-se mais fácil, rápido e visualmente claro  de ser checado, tanto por você como por seu parceiro.

Clipar-se ao Belay Loop basicamente é clipar-se a um único ponto ao invés de dois, diminuindo suas chances de erro. 

–       E por fim o argumento tecnicamente mais relevante. Todos os mosquetões foram feitos para receber a carga em seu sentido longitudinal, o que só acontece de forma perfeita com o uso do Belay Loop. Quando o mosquetão é passado pelas pernas e cintura, ele acaba recebendo cargas multi-direcionais, e na pior das hipóteses pode ser carregado completamente na transversal de seu eixo.

Se você prestar atenção na gravação feita na lateral do corpo de seu mosquetão, verá que a resistência que gira em torno de 22KN a 25KN cai tranquilamente para menos da metade (7KN a 9KN) se carregado na transversal.

Se você ainda tem alguma dúvida sobre a segurança de seu BELAY LOOP pode clipar também o anel do seu nó, como mostra a foto. Além de dobrar sua segurança, tanto o escalador como o segurador estarão encordados o tempo todo.

Bom, como disse há pouco, eu mesmo utilizei essa técnica antiga por muitos anos, mas assim como a tecnologia evolui, as técnicas também passam por evoluções e mudanças ao longo dos anos.

Hoje eu utilizo somente o Belay Loop para rapel e segurança. Recomendo e ensino desta forma os alunos na Casa de Pedra, seja no ginásio ou cursos de escalada em rocha.

Mudar um hábito é algo que requer tempo e força de vontade, mas tenho certeza que você estará mais seguro, além de fazer a coisa certa.

Uma última questão:

Se você tem alguma dúvida sobre sua cadeirinha, acha que está gasta ou já na estrada há muitos anos, tá esperando o quê para trocá-la?

O mesmo se aplica a cordas, fitas e cordins. Estes equipamentos serão sempre os mais sensíveis ao tempo, luz, calor e desgaste por abrasão. Fique esperto!

Escale consciente, escale seguro!

Alê Silva.

Este post começou de uma discussão lançada no HANG-ON nesta última semana. Queria agradecer ao amigo Davi Marski por levantar o tema e passar alguns links com informações. Para saber mais”

– Artigo e recomendação da BLACK DIAMOND

– Artigo e recomendações de segurança da PETZL

– Recomendações de segurança sobre cadeirinhas PETZL

– Discussão sobre o assunto no site SUPERTOPO

Anúncios

5 Respostas para “BELAY LOOP – Use o anel de sua cadeirinha da forma correta!

  1. Olá pessoal,

    Minha opinião arespeito é de que:]

    PRIMEIRA IMAGEM – está errada a colocação do mosquetão, que realmente está na diagonal, com a parte mais larga virada para o freio. Se a parte mais larga do mosquetão estivesse virada para a cadeirinha, esta seria uma forma correta de utilizarmos um mosquetão pera (que deve aguentar sua carga total de ruptura se exigida, em toda a base larga) nas fitas de baudrier de perna e cintura.

    SEGUNDA IMAGEM – ainda está incorreta a posição do mosquetão. Em freios como o ATC (utilizado na foto), é essencial que o “bico” do mosquetão entre no freio para que o esmagamento da corda seja suficiente para frear uma queda mesmo com cordas finas. No modo de montagem como está descrito na foto, a frenagem é baseada unicamente no atrito entre as bordas do freio e o mosquetão, quando deveria ser baseada no esmagamento da corda, causado entre as paredes do freio e o mosquetão.

    Se o escalador prefere usar o loop, pois quando se utiliza o grigri realmente o loop é recomendado, o melhor será (após 2 anos de uso da cadeirinha), fazer um back up do loop com um cordelete ou fita extra.

    Fabricantes de cadeirinhas já constataram que o loop perde resistência muito mais rápido do que as fitas de perna e cintura. A revista espanhola Desnivel chegou a fazer testes nos quais ficou comprovada que em 5 anos de uso intensivo, as fitas de perna e cintura não perdiam resistência significativamente, enquanto que o loop chegava a aguentar apenas 7kn!
    Recentemente aconteceu em Yosemite um rompimento de loop durante um rapel, no qual o escalador americano Todd Skinner veio a morrer.

    Eliseu Frechou

  2. Boa noite Eliseu,

    infelizmente terei que discordar quanto a posição do mosquetão interferir na qualidade da frenagem. O ângulo de entrada e saída no aparelho permanece idêntico, bem como esse tal “esmagamento” não ocorre em ambas as situações. De qualquer forma a imagem é meramente ilustrativa e a possibilidade de cargas multidirecionais acontece em qualquer um dos sentidos do mosquetão. Realmente pode ser que o mosquetão montado no outro sentido fique melhor. Assim que possível subistituirei as fotos.

    O acidente com o Todd Skiiner aconteceu em 2006. Realmente você tem razão quanto a queda de resistência mais acentuada do LOOP em relação as fitas da cintura e pernas. Concordo igualmente que uma troca saudável da cadeirinha deve acontecer em dois anos e na dúvida deve-se fazer um backup com cordelete.
    Boas escaladas,

    Alê Silva.

    • Olá Eden, na escalada guiada use sempre o nó feito direto em ambas as alças de cintura e pernas. No caso do Top Rope, você tem duas opções; ou igual a guiada com nó do oito direto nas alças de perna e cintura, ou uso de dois mosquetões de trava (de preferência com gatilhos para lados opostos) no Loop da cadeirinha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s